OUTUBRO ROSA: PREVENÇÃO CONTRA O CÂNCER DE MAMA

​Alunos da Escola Municipal Graciliano Ramos encenam peça “Presépio Vivo”

14 de dez de 2017 - Publicidade

Escrever, de certa forma, é brincar com as palavras. E eu estou fazendo isso com você agora. Mas brincar não é a função do jornalista. Brincar é o que se deve incentivar nas crianças. E as da Escola Municipal Graciliano Ramos, no bairro de Vista Alegre de Baixo, conseguiram fazer isso de forma criativa e com muita emoção na tarde da terça-feira (12), ao encenarem a releitura do nascimento do menino Jesus, intitulada “Presépio Vivo: Brincando para Adorar o Menino Jesus”.

O Presépio Vivo ocorre pelo segundo ano consecutivo na escola para encerrar o ano letivo, sempre fazendo adaptações em relação à verdadeira história do nascimento de Jesus Cristo, como explica Margarete Santos, que está na gestão da instituição há quatro anos. “Esse presépio é minha paixão, pois eu já fazia isso mesmo antes de vir para a Graciliano, com base no Presépio Vivo de Lídia Hortélio. Quando cheguei, aqui, propus aos professores e eles abraçaram a ideia”, comemora.

O evento, aberto à comunidade, foi realizado por alunos da Educação Infantil e do Fundamental I, que ensaiaram coreografias e canções ao longo do ano, no turno oposto ao que estudam, sob a coordenação das professoras de educação física e de teatro. O objetivo foi de resgatar os valores natalinos, brincadeiras, além de enaltecer a dedicação dos estudantes e de toda equipe pedagógica. A professora de Educação Física, Everli Nascimento, sinaliza que o trabalho ajudou a melhorar ainda mais o convívio das crianças. “Trabalhamos o ano inteiro com eles, incentivando brincadeiras como pular corda, brincar de elástico, pique-esconde. O resultado foi maravilhoso, já que nossa meta era realmente fazer as crianças interagirem e se movimentarem”, destaca.

Segundo a professora de teatro, Laiane carvalho, um dos maiores desafios foi prender a atenção dos alunos para decorar o texto e as coreografias “Não foi fácil, mas foi extremante proveitoso. Muitas crianças introspectivas me surpreenderam e até os mais quietos resolveram se integrar ao processo, participando da escolha de músicas e na sonorização. Teatro é equipe, pois nem um monólogo se faz sozinho”, enfatiza.

Um dos alunos que mais se envolveu no processo criativo foi Rafael Silva dos Santos, de 12 anos, que está encerrando o 5º ano. Ele já participou de outros projetos da instituição e diz que esses são momentos especiais. “É maravilhoso. As professoras nos arrumam, a gente se diverte e sempre passa uma mensagem pra quem está assistindo. Hoje eu vou fazer o papel de uma estrela e gostei muito de tudo”.

A aluna Jaiane de Andrade Nascimento, também de 12 anos e que está terminando o 5º ano, cantou no coral e dançou duas músicas durante a apresentação. Com a sabedoria própria de uma criança desta idade, Jaiane fala sobre a importância do projeto. “É importante que todos participem porque a escola sempre faz o melhor pra gente. Isso vai me ajudar muito por que eu quero ser atleta ou dançarina. Eu moro aqui mesmo em Vista Alegre e fico pensando assim: se eu não estivesse aqui na escola, estaria fazendo o que em casa? Então, pra mim, é muito bom ficar aqui”, finalizou.