OUTUBRO ROSA: PREVENÇÃO CONTRA O CÂNCER DE MAMA

“As artes encantam: O pontilhismo de Jair Gabriel” é tema de exposição no CMEI Pirajá

08 de dez de 2017 - Jornalismo

O Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Pirajá realizou no dia 5 de dezembro a mostra “As artes encantam: O pontilhismo de Jair Gabriel”, com a exposição de trabalhos de releitura das obras do artista executados pelos alunos. Natural de Porto Velho, o artista plástico Jair Gabriel é mestre na arte do pontilhismo – técnica de pintura caracterizada pelo uso de pontos na formação da imagem.

 Os alunos do Cmei Pirajá tiveram contato com as obras e técnicas do pintor, que vive na Bahia há quase 30 anos e cujo trabalho é reconhecido no Brasil e no exterior, através de um projeto de artes desenvolvido durante todo o segundo semestre deste ano. O evento representou a culminância desse trabalho e teve participação da equipe gestora, professores, alunos, funcionários, pais e responsáveis. E também com a presença de Mestre Jair Gabriel e da curadora do artista Ermanna Cavazzoli.

 O artista se surpreendeu com o evento: a organização e os trabalhos desenvolvidos. “Esse trabalho que vocês vêm fazendo, o incentivo dado às crianças, que fizeram uma apresentação tão bonita, tão linda do meu trabalho, é emocionante. Eu acho que vocês estão fazendo um trabalho muito legal, que deve ser reconhecido não só aqui na escola como fora da escola também. Parabéns pra vocês”, disse Jair Gabriel.

 A gestora do Cmei, Patrícia Albuquerque Lemos, detalhou para o site da Smed o projeto desenvolvido e a culminância, através da exposição. Confira:

 1.   Qual foi o objetivo do projeto de artes desenvolvido nesse semestre?

Com esse trabalho buscamos explorar com as crianças, através da linguagem das artes plásticas, uma nova perspectiva e possibilidade de criação, descoberta e releitura das obras do artista plástico Jair Gabriel, com base em vivências, reflexões e intervenções orientadas.

 2.   Como foi a Exposição?

O evento foi um sucesso para toda comunidade escolar. Um momento muito especial foi a chegada do artista e sua curadora Ermanna Cavazzoli no “Corredor das Artes” (espaço intitulado para a exposição).

O homenageado e sua curadora circularam pela exposição,  emocionados com a grandeza das releituras realizadas pelas crianças, que vestiam aventais pontilhados.

O artista conversou com o público sobre a sua trajetória na Amazônia e sua vinda para Bahia, onde se tornou o Mestre do Pontilhismo a partir da influência do também artista plástico Edson da Luz. Nas considerações finais, a professora idealizadora do projeto, Silvana Souza, agradeceu a presença do artista e da comunidade escolar, bem como o empenho dos alunos e pais que se fizeram presentes.

 3.   Quais as obras que foram base para as releituras?

Dançar, Caracóis, Meninas do Interior, Aves do Amanhecer, Encanto das Borboletas, Caminho Real, Cardume e As Borboletas.

 4.   Fale um pouco do projeto que culminou com o evento.

Este projeto pretendeu agregar de forma sistemática o conhecimento dessas linguagens através da arte, gerando contextos significativos de ensino aprendizagem que respeitem o modo de perceber, sentir e pensar de bebês e crianças.

Atualmente a educação infantil redimensiona conceitos, abordagens e modos de atuação sob a influência de novas pesquisas e teorias pedagógicas. Assim, o trabalho com as linguagens artística e cultural têm avançado no decorrer dos anos, pela exploração, pesquisa e criação, pela integração do subjetivo e objetivo, do sujeito e objeto, pela elaboração de hipóteses e comparação de possibilidades, pela ampliação de recursos, respeitando as experiências prévias, a maturidade, a cultura do aluno, seus interesses e sua motivação interna e externa.

 5.   O que as crianças e pais acharam?

As crianças falaram que estavam muito animadas para conhecer o artista. Durante o projeto, elas participaram ativamente, assistiram vídeos sobre a vida dele e passaram a reconhecer suas obras. Os pais ficaram atentos à fala do artista, durante o evento, e se encantaram com as obras de releitura realizadas por seus filhos. Fotografaram a exposição, tiraram fotos com o artista e se mostraram bastante interessados por ele e por sua obra.