OUTUBRO ROSA: PREVENÇÃO CONTRA O CÂNCER DE MAMA

OUTUBRO ROSA: PREVENÇÃO CONTRA O CÂNCER DE MAMA

pinflix yespornplease porncuze.com porn800.me porn600.me tube300.me tube100.me watchfreepornsex.com

Cmei Castro Alves recebe autora do livro “Calu: uma menina cheia de histórias”

01 de nov de 2018 - Jornalismo

O Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Castro Alves, no bairro da Boca do Rio, recebeu neste mês a visita da a atriz e escritora Cássia Valle, autora do livro “Calu: uma menina cheia de histórias”. Lançado pela editora Malê, em parceria com a autora Luciana Palmeira, o livro conta, em suas 32 páginas, a história de Calu, uma menina, curiosa e inteligente, que, com o seu olhar de criança, respeita e valoriza as histórias dos mais velhos, procurando uma forma de transformar o bairro onde mora em um museu a céu aberto, ressaltando o sentimento de pertencimento onde a cultura e a história sejam valorizadas.

A ação fez parte do projeto “O Baú de Memória e os Fios que Tecem a História”, idealizado pela professora Ana Lúcia Magalhães, do Grupo 5B. De acordo com a gestora da unidade de ensino, Cristiane Giffoni, o momento foi voltado a contação de histórias e interação. “Foi uma manhã na qual as crianças conheceram a história e tiveram um papo maravilhoso com a autora. As crianças ficaram maravilhadas, demonstrando que a representatividade é importante e deve ser valorizada”, enfatiza.

De acordo com Cassia Vale, a ideia do livro surgiu do deseja das autoras de conversar diretamente com os pequenos. “A gente tem um projeto chamado “Patrimônio Cidadão” no qual a gente trabalhava com as comunidades, vendo e revendo os anseios dessas pessoas de se ver dentro dos museus e faltava o instrumento para trabalhar com as crianças e quando a gente foi no lançamento do caderno de rimas de lazaro ramos, ele ficou instigando pra gente fazer logo e por isso nos encorajamos e lançamos logo”, destaca.

A autora enfatiza que a obra conta a história do bairro da Boca do Rio, de uma forma diferente. “Calu conta a história de uma Boca do Rio encantada, de décadas atrás. Uma Boca do Rio lúdica, que respeita os fazeres, que fala das histórias dos pescadores, dos mais velhos e das histórias que esses mais velhos nos contam. O livro grita pelo nosso direito ao respeito pelo patrimônio, para que as crianças saibam que tem direito a memoria e identidade próprias e que estas devem ser respeitadas e valorizada”.

A gestora do Cmei fez questão de agradecer à presença da autora, que, segundo ela, proporcionou um momento tão especial. “Agradecemos a autora e a Calu que, com o seu olhar de criança, nos impulsiona a reconhecer quem realmente somos e as nossas capacidades, a fim de apresentar aos nossos e as nossas “Calus”, um universo de grandes possibilidades. Calu nos inspira, entre tantas outras coisas, a olharmos com afeto para a nossa história”, finaliza.