Dia da África- 25 de maio- Salvador é a primeira capital a promover em toda a rede pública municipal o ensino de História da África e Cultura Afro-brasileira

19 de Maio de 2005 - dev

Salvador é a primeira capital a promover em toda a rede pública municipal o ensino de História da África e Cultura Afro-brasileira

Pedro Castro Filho

No dia 23 de maio, às 10 horas, a ministra Matilde Ribeiro (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial) visitará a escola Barbosa Romeu, em São Cristóvão (Rua São Paulo, s/nº), onde já é realizado o ensino de História da África e Língua Portuguesa. Dois dias depois da visita da ministra, no dia 25 de maio, comemora-se o Dia da África. Na ocasião, a Secretaria Municipal de Educação e Cultura realizará, no auditório da Ufba, às 9 horas, um evento visando a implementação da lei federal 10.639/03, que determina os ensinamentos de História da África e Cultura Afro-brasileira nas escolas. Salvador, maior cidade negra fora do continente africano, é a primeira capital do país a implantar ainda neste ano em toda a rede municipal a lei 10.639/03. Em todas as 26 escolas da rede que possuem turmas de 5ª a 8ª séries, o ensino da História da África e Cultura Afro-Brasileira já é adotado. E esta prática já será colocada em sala de aula em todas as 361 unidades da rede municipal de ensino no início do segundo semestre deste ano letivo.

A História da África está sendo incluída de forma obrigatória na disciplina História e a Cultura Afro-brasileira é lecionada de forma transversal através de diversas disciplinas. Segundo a secretária municipal de Educação e Cultura, Maria Olívia Santana, esta iniciativa “de promoção da igualdade no espaço da sala de aula” teve uma boa repercussão nas comunidades escolares. “Esta ação é pioneira. E além das diretrizes nacionais, os docentes receberão as diretrizes locais, onde foram incorporadas experiências das ONGs que trabalham a questão. A intenção é fazer de Salvador uma referência nacional para este aprendizado”, afirma Maria Olívia Santana. A elaboração das diretrizes da rede municipal contou com a participação da UFBa- através do Centro de Estudos afro-Orientais (CEAO/Ceafro).

Desde fevereiro, na jornada pedagógica, os professores passam por um processo de capacitação para lecionar História da África e Cultura Afro-brasilera. A jornada pedagógica antecede as aulas e funciona como um planejamento para o projeto pedagógico das unidades escolares.

Estão confirmadas no evento que se realizara no dia 25 de maio as presenças da artista Leci Brandão, secretária municipal de Educação e Cultura, Maria Olívia Santana, Ubiratan Castro, presidente da Fundação Palmares, Gilmar Santiago, secretário municipal de Reparação, e o reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBa), Naomar Almeida, dentre outros. O encontro reunirá ainda secretários municipais de Educação da Região Metropolitana de Salvador, diretores, coordenadores e professores da rede municipal de ensino.

A lei em questão foi elaborada pela Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, da Presidência da República.