OUTUBRO ROSA: PREVENÇÃO CONTRA O CÂNCER DE MAMA

Escola Municipal Alto da Cachoeirinha Nelson Maleiro faz palestra sobre inclusão

02 de out de 2019 - Jornalismo

A Escola Municipal Alto da Cachoeirinha Nelson Maleiro, localizada no Cabula VI (GRE Cabula), promoveu palestra sobre inclusão na quarta-feira (24) e convidou a fundadora do Instituto Igor Nogueira, Marleide Nogueira, para abordar o tema “Superando as Limitações”. Ela que é mãe de Igor Nogueira (autista, medalhista mundial de jiu-jitsu) falou com propriedade sobre superação e o quanto o ser humano é capaz, independente de alguma deficiência.

A iniciativa dos gestores da escola foi dividida em duas etapas. A primeira roda de conversa foi realizada no primeiro semestre com a promotora Cíntia Guanaes que palestrou sobre “Os direitos da pessoa com deficiência”. “Foi um encontro importante para toda a comunidade escolar. Principalmente para os estudantes que entenderam o quanto é nocivo fazer bullying e que é possível superar as limitações. Nossa proposta é sensibilizar no sentido de acolher o diferente. A criança com autismo pode ter vida social relativamente normal”, destacou a diretora da escola Daniele Palma.

A palestrante Marleide Nogueira fez relatos das conquistas do seu filho que há 17 anos recebeu o diagnóstico, que, segundo a mãe, veio com “a sentença do pediatra de que não seria capaz de se alfabetizar, nem fazer coisas simples como amarrar o cadarço do sapato”. Entretanto, Igor já concluiu o segundo grau, é campeão de jiu-jitsu e quer fazer faculdade de Educação Física, segue em busca da faixa preta para ensinar crianças autistas. “Acredite no seu filho, por mais que seus olhos demonstrem o contrário, não desista! Siga seu coração. Seu filho é capaz!”, destacou.

Para a professora do Atendimento Educacional Especializado (AEE) Uilma Barreto, dos 679 estudantes da escola, 47 tem algum tipo de deficiência e sensibilizar toda a comunidade escolar sobre a importância de educar o olhar acerca das necessidades específicas de cada deficiência é primordial. “Foi uma verdadeira aula de como o ser humano dotado da capacidade pode tornar-se cada vez mais empático e acolhedor. Temos a certeza de que todos saíram transformados após esse encontro ”, disse a professora.