pinflix yespornplease porncuze.com porn800.me porn600.me tube300.me tube100.me watchfreepornsex.com

Escolas Hospitares iniciam ano letivo

27 de fev de 2007 - dev

As crianças e adolescentes internadas em Salvador tiveram um motivo a mais para sorrir nesta segunda-feira (26), pois foram iniciadas as aulas das Escolas Hospitalares Criança Viva, juntamente com o calendário escolar da rede municipal de ensino. No primeiro dia do ano letivo, foram realizadas várias atividades lúdicas com as crianças. No Martagão Gesteira foi desenvolvida uma dinâmica de grupo com o tema: “Por que somos Diferentes?”. As aulas pela manhã, começam a partir das 8 horas e a tarde às 13h30. No total, são 10 hospitais da cidade do Salvador com escola hospitalar Criança Viva, que oportuniza aos alunos-pacientes e aos seus familiares a continuidade dos seus estudos.

“Agora pude perceber a importância de termos uma escola dentro de uma unidade hospitalar. Apesar de ser a primeira vez que acompanho um filho a um internamento. Foi através disso que pude perceber que mesmo eles estando sofrendo com agulhadas, dores e tudo mais, eles podem ter alegria ouvindo histórias, músicas, desenhando e tudo mais. Esta será a primeira experiência da minha filha na escola. Peço a Deus que este trabalho se estenda em outros hospitais e que outras crianças recebam este carinho tão importante em sua recuperação, dando a elas a condição de continuar em aprendizagem mesmo estando no hospital”, Carla Andréa Gomes

Objetivo do programa hospitalar é garantir aos alunos pacientes o atendimento pedagógico-educacional-hospitalar, que lhes possibilite a continuidade das suas atividades escolares; reintegrar à escola aqueles alunos que estão fora do contexto de ensino; incentivar o crescimento e desenvolvimento intelectivos e sócio-interativo; fortalecer o vínculo entre o aluno paciente e o seu processo de aprendizagem; sanar dificuldades de aprendizagem ou oportunizar a aquisição de novos conhecimentos intelectivos e amenizar o medo e o sofrimento do aluno paciente durante o seu período de internação hospitalar.

Os projetos pedagógicos desenvolvidos nas escolas hospitalares têm como objetivo a realização de vivencias que desenvolvam as imagens intuitivas, os sentimentos, percebendo o valor e o sentido das emoções, a capacidade de encadeamentos lógicos de raciocínio e a capacidade de se relacionar como mundo através das percepções e do imaginário, percorrendo as diversas áreas do conhecimento, relacionando-as aos conteúdos programáticos de acordo coma faixa etária e grau de escolaridade dos alunos.

O programa foi implantado em oito centro hospitalar de Salvador: Hospital Santa Isabel (Unidade Cardiopatia Santa Rosa), Unidade de Onco-hematologia Pediátrica Erik Loeff, Casa de apoio a Criança Cardiopata (Atendimento Pedagógico Domiciliar), Gacc (Atendimento Pedagógico Domiciliar), Hospital Couto Maia, Hospital Martagão Gesteira, (mantendo a continuidade do projeto Criança Viva desde 2001), Hospital Roberto Santos (Unidade de Nefrologia Pediátrica), Centro Pediátrico Professor Hosanah de Oliveira (anexo ao hospital das clínicas, mantendo a continuidade do projeto Criança Viva desde 1999). A SMEC ainda pretende instalar a ação também nos hospitais: Otávio Mangabeira, Eládio Lassfierre, HGE e João Batista Caribé.

A Escola Hospitalar Criança Viva,é dividida em cinco grupos de escolaridade: Grupo 01( alunos-pacientes de 02 à 06 anos/ Educação Infantil);Grupo 02(alunou-pacientes de 07 à 10 anos/Ensino Fundamental 1); Grupo 03(alunos-pacientes de 11 à 14 anos/Ensino Fundamental 2); Grupo 04(alunos-pacientes ,a partir de 15 anos/Ensino médio e EJA;Grupo 05(launos-pacientes impossibilitados de locomoção;Quimioterapia,hemódialise,ortopedia,queimados e isolamento); Grupo 06(alfabetização dos pais e ou responsáveis pelos alunos -pacientes).

“É uma experiência enriquecedora e valiosa para aquele profissional que consegue expandir o seu olhar diante daquela criança ou jovem
hospitalizado, acreditando no seu potencial e na sua condição de ser um instrumento de cura e ajuda durante o processo de adoecimento na vida desse aluno da escola hospitalar”.

Para o secretário municipal de Educação e Cultura, Ney Campello, o Criança Viva é um dos programas mais especiais da SMEC, porque atende crianças e adolescentes hospitalizados, ajudando na sua formação e recuperação. “Com as aulas, as crianças esquecem até que estão em um hospital, sentem-se mais felizes. Temos como propósito garantir a escolaridade dos alunos pacientes”, afirma.