OUTUBRO ROSA: PREVENÇÃO CONTRA O CÂNCER DE MAMA

OUTUBRO ROSA: PREVENÇÃO CONTRA O CÂNCER DE MAMA

pinflix yespornplease porncuze.com porn800.me porn600.me tube300.me tube100.me watchfreepornsex.com

Estudantes da Rede Municipal apresentam trabalhos focados no meio ambiente durante Conferência

29 de Maio de 2018 - Jornalismo

João Henrique Jesus, aluno da EM Teodoro Sampaio

Alunos de quatro escolas da Rede Municipal de Educação estão participando como delegados da III Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente, que escolherá os representantes baianos na etapa nacional. Realizada no Hotel Sol Bahia, no bairro de Patamares, a Conferência tem como tema “As Escolas da Bahia Cuidando das Águas”. Durante o evento, que segue até quarta-feira (30) e que visa debater ações que possam fortalecer a cidadania ambiental nas unidades de ensino e nas comunidades, os alunos apresentarão trabalhos desenvolvidos por eles e já selecionados na primeira etapa da Conferência, que teve participação de 1.043 escolas baianas públicas e privadas.

Representaram a Rede Municipal de Salvador as escolas Brigadeiro Eduardo Gomes (São Cristóvão), Luiza Mahim (Armação), Teodoro Sampaio (Santa Cruz) e a Manoel Henrique da Silva Barradas (Ilha Amarela), com projetos voltados para o cuidado e preservação do meio ambiente.

A Escola Municipal Luiza Mahim, representada no evento pelo aluno Nadson Santana Menezes, do 9º ano, teve como prioridade um projeto de ação focado na revitalização do espaço público conhecido como Parque Lagoa dos Frades, no bairro do Stiep. A lagoa está localizada no entorno da escola e possui um imenso potencial de lazer para os moradores, mas está abandonada. Os alunos desenvolveram o projeto “Cuidando e aprendendo com as águas: atuação de limpeza e conscientização no Parque Lagoa dos Frades”.

O aluno Nadson e o professor Bruno da EM Luiza Mahim

De acordo com o professor regente de Ciências da unidade, Vinícius Bruno Santos da Cruz, a escola sempre teve uma preocupação ambiental e com a realização da Conferência, surgiu a oportunidade de mudar o cenário da Lagoa. “Fomos ao local, observamos, e toda a comunidade escolar participou. Arregaçamos as mangas, fizemos uma limpeza coletiva, na qual coletamos 37 sacos de lixo que estavam no entorno da lagoa. Através de rodas de conversa e distribuição de panfletos, chamamos a atenção da comunidade para que valorizem cada vez mais a área. Queremos ver aquele espaço revitalizado e estaremos sempre atentos para propiciar a conscientização da população”, disse.

Valquíria Rodrigues, coordenadora pedagógica na Escola Municipal Teodoro Sampaio, no bairro de Santa Cruz, explica que o foco da pesquisa foi o uso racional da água, intitulado “A água nossa de cada dia”. “Discutimos com a população questões para resolver problemas dentro da escola e no entorno sobre a falta de água. Além do envolvimento de alunos e professores, ouvimos também a comunidade, além da Embasa, Postos de Saúde, do Centro de Controle de Zoonozes e líderes comunitários”, explicou. Segundo ela, o principal objetivo é, a partir desse levantamento, estimular o uso racional da água. “Trabalhamos com a questão do reaproveitamento da água, tanto em casa como na escola, além do saneamento básico e após a conferência, pretendemos realizar oficinas, palestras, debates, trazendo inclusive representantes da Embasa e do Inema (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos) para esclarecer algumas questões levantadas pelos estudantes”, enfatiza a coordenadora.

O aluno do 9º ano João Henrique Jesus, de 14 anos, sente-se com uma grande responsabilidade ao representar os estudantes da instituição em um evento tão importante. “Todos colaboraram muito para que esse trabalho fosse realizado. O que quero mostrar às pessoas é a importância da água nossa de cada dia e ressaltar que todos temos o dever de cuidar dela, já que ela está acabando, e sem água, não há vida”, enfatiza.

                    Geovana Correia, aluna da EM                             Brigadeiro Eduardo Gomes

A Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes desenvolveu o projeto “Cuidando da água de São Cristovão”, bairro onde se localiza. De acordo com a estudante Geovana Santos Correia, do 9º ano, o trabalho foi voltado para a drenagem e reaproveitamento da água da chuva. “Gravamos vídeos com depoimentos da população e no dia da primeira etapa da Conferência, passamos esses vídeos, principalmente sobre reclamações de canos estourados nas ruas e que levam muito tempo para serem consertados, o que causa grande desperdício de água e o prejuízo é muito grande para todos. A água daqui a pouco vai acabar e como é que a gente fica?”, questiona. Além disso, os alunos também produziram uma música para ajudar na conscientização da comunidade.

Questionada sobre a importância de representar a escola na Conferência, Geovana Correia sintetiza: “É a primeira vez que a escola participa da Conferência e eu estou aqui representando todos os estudantes, trazendo esse legado, já que a Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes tem um histórico de ações voltadas para o meio ambiente. Estou me sentindo muito honrada. Independentemente de passar ou não para a fase nacional, já está valendo e muito a pena. O que o que eu aprendi não pode ficar só comigo e aqui já estou passando adiante”, finaliza.

A aluna Adla Vitória, da EM Manoel Henrique da Silva Barradas

Na Escola Municipal Manoel Henrique da Silva Barradas, o envolvimento não foi diferente. Segundo a vice gestora da instituição, Gilmara Freitas Costa, o trabalho é voltado para a revitalização do Rio Mané Dendê, que passa na Comunidade de Ilha Amarela, no Subúrbio Ferroviário de Salvador e que deságua no Parque São Bartolomeu. “A primeira etapa foi pedagógica, com preparação dos alunos, apresentação de vídeo-aulas, preparação de cartazes. Em seguida foi a etapa mobilizadora, onde preparamos os alunos para conhecerem a trilha, o leito do rio, e para isso, contamos com o apoio da Associação Amigos do Parque São Bartolomeu e do Inema. Depois da experiência, os alunos prepararam folhetos, com o objetivo de levar ao conhecimento a todos que, apesar da poluição, não se trata de um esgoto, mas sim de um rio ainda vivo”, destaca a gestora. Segundo ela, a partir deste projeto, os alunos já sinalizaram que pretendem mobilizar a comunidade para que, através da escola, sejam realizadas trilhas pelo Parque São Bartolomeu”. A escola foi representada no evento pela aluna Adla Vitória Bonfim Nogueira, do 8º ano.