pinflix yespornplease porncuze.com porn800.me porn600.me tube300.me tube100.me watchfreepornsex.com

Estudantes municipais recebem tratamento auditivo

04 de ago de 2008 - dev

Mais de 250 alunos da Escola Municipal de Nova Esperança Professor Arx Tourinho já foram beneficiados pelo projeto Ouvidos para Ouvir e Melhor Aprender. A ação é fruto da parceria com o curso de Fonoaudiologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que visa promover a saúde auditiva em escolares, com a realização de consultas e exames. A meta é atender mais de 500 educandos da unidade.

O projeto identifica alunos que necessitam realizar avaliação auditiva completa para diagnóstico audiológico e os encaminha para atendimento com especialistas, além de realizar ações educativas com os pais e professores, que serão orientados para o tratamento e prevenção.

Os estudantes são submetidos a observação do canal auditivo externo, onde será verificada a condição para realização de triagens audiométricas e imitanciométricas. Além destes procedimentos, crianças de 7 a 9 anos são avaliadas através de um questionário sobre o tema.

De acordo com o diretor da unidade, Gerson Pereira da Costa, a boa audição contribui para o aprendizado e é importante para o desenvolvimento cognitivo do aluno. “É muito gratificante saber que as perdas auditivas estão sendo diagnosticadas precocemente e de forma adequada, minimizando as dificuldades causadas por essas alterações”, frisou.

Após a realização da triagem auditiva, os pais recebem uma carta com os resultados das avaliações. Os alunos que têm falhas diagnosticadas na triagem auditiva são encaminhados para avaliação completa no Centro Docente Assistencial de Fonoaudilogia (CEDAF) ou consulta com otorrinoralingologista do Hospital São Rafael.

Fernando Luis Cerqueira, pai de dois alunos beneficiados, demonstrou toda a sua gratificação, destacando a importância do projeto. “Admiro a responsabilidade social das organizações parceiras, proporcionando uma melhor expectativa de vida para a classe menos favorecida. Se tratando de um bairro carente, talvez essas crianças jamais se dariam conta de que apresentavam problemas desse tipo, afinal uma consulta dessa natureza é muito cara”, ressaltou.