OUTUBRO ROSA: PREVENÇÃO CONTRA O CÂNCER DE MAMA

Fanfarras da Rede Municipal se preparam para o desfile do Dois de Julho

28 de jun de 2019 - Jornalismo

O desfile em comemoração ao Dois de Julho se aproxima e as fanfarras das escolas municipais já estão em fase final de ensaios. No repertório das bandas, consta desde o clássico Cisne Branco, marchinhas, sucessos da MPB, Hinos Cívicos, até o hit Jenifer, uma das músicas mais tocadas no Brasil.

Cerca de 350 crianças e adolescentes já estão na expectativa do grande dia e se preparam para cumprir o percurso que ocorre em dois períodos, pela manhã da Lapinha à Praça Municipal e à tarde, da Praça Municipal ao Campo Grande, na próxima terça-feira (2).

O regente Emerson Brito, da fanfarra da Escola Municipal Alexandrina Santos Pita (Famasp), em Pirajá, disse que a sensação é de dever cumprido. “Ensaiamos o ano inteiro, temos integrantes veteranos na fanfarra que já concluíram os estudos e permanecem conosco, mas também temos meninos que começaram este ano do zero e estão muito bem. Dá trabalho, mas a satisfação é grande. A partir de agora a rotina de ensaios é intensa e só vamos parar dia 30, porque no dia 1º participamos da cerimônia da Chegada do Fogo Simbólico”, disse.

Cerca de 50 alunos da Escola Municipal Helena Magalhães, na Boa Vista de São Caetano, integram a Fanfarra Helena Magalhães (Fahema). Para os estudantes e líderes da banda, a atividade desempenha um papel pedagógico e, para além dos desfiles cívicos, funciona como um ambiente de aprendizagem, profissionalização e de incentivo ao protagonismo estudantil. Nas fanfarras das escolas municipais, trabalha-se com instrumentos como trombone, cornetas, cornetões, bombardinos, trompetes, bumbo, surdo, caixa e pratos.

O regente Almir Vilarino descreve o protagonismo estudantil nas fanfarras escolares, destacando a participação dos estudantes nesta ferramenta pedagógico-musical como um ato educativo. “Nós damos aulas de teoria e técnica musical, leitura de partitura. Nosso objetivo é ajudar da melhor maneira possível. Somos muito rígidos na disciplina. O alunado no começo dizia que era chato e hoje me chamam de ‘Avô Gaginho’. Muitos deles são filhos de pessoas que já participaram da fanfarra. Aqui, eles não têm tempo para pensar na marginalidade. Em 20 anos, só perdemos duas pessoas”, afirma.

Histórias – André Jesus da Silva, 32 anos, é co-regente da fanfarra e reforça a importância da organização do grupo. Ele fez parte da banda desde a adolescência e hoje cursa licenciatura em música, auxiliando Almir, instruindo os alunos sobre o ramo musical com aulas de teóricas e práticas, além de técnicas de respiração entre outras.

“Entrei na fanfarra aos 13 anos e aprendi muito sobre música e cidadania. Sempre fui motivado a respeitar a escola, a comunidade e a estudar. Estou cursando agora a licenciatura em música, e me vejo através das crianças, tocando os instrumentos. E isso é muito satisfatório. Os meninos chegam aqui sem perspectiva e a gente dá o direcionamento”, destaca André Jesus.

Henrique Alexandre, 18, está na fanfarra há dez anos e, apesar de ter concluído os estudos, decidiu permanecer no grupo. Ele diz que a atividade fomentou o desejo de espalhar a cultura e levar aos outros um novo sentido, nesse caso através da música.

A música dá aos alunos uma nova visão de mundo, segundo Gregori Ferreira, 16, que participa do grupo há três anos. “Fazer parte desta atividade impactou minha vida e, agora, já tenho planos para o futuro. Eu era do tipo que não ligava para nada e agora quero ser um músico respeitado na sociedade”, avisa.

Expectativa – Sobre a expectativa para o desfile do Dois de Julho, os meninos esperam muita diversão e mais organização no espaço para que eles possam mostrar tudo o que aprenderam. “O nosso desejo é sair de lá com a sensação de dever cumprido”, pontua Henrique Alexandre. Para quem vai assistir ao desfile, ele faz um pedido especial. “Espero que os transeuntes respeitem o espaço da banda, para evitar danos no equipamento e não prejudicar o desenvolvimento do que estamos fazendo ali”, diz.

Conheça as fanfarras da Rede Municipal de Salvador:

1. Fantesa – Escola Municipal Teodoro Sampaio (Santa Cruz – GRE Orla)

2. Fahema – Escola Municipal Helena Magalhães (Boa Vista De São Caetano – GRE São Caetano)

3. Famasp – Escola Municipal Profª Alexandrina Santos Pita (Pirajá – GRE Pirajá)

4. Fanfac – Escola Municipal de Fazenda Coutos (Fazenda Coutos – GRE Subúrbio I)

5. Famup – Escola Municipal da Palestina (Palestina – GRE Cajazeiras)

6. Famasba – Escola Municipal Manoel Henrique da Silva Barradas (Ilha Amarela – GRE Subúrbio I)

7. Bams’c – Escola Municipal Barbosa Romeo (São Cristóvão – GRE Itapuã)

Fotos da Fahema – Escola Municipal Helena Magalhães (Boa Vista De São Caetano), feitas por Bruno Concha/Secom/PMS.