pinflix yespornplease porncuze.com porn800.me porn600.me tube300.me tube100.me watchfreepornsex.com

Inclusão sociodigital melhora desempenho e diminui evasão escolar

13 de nov de 2012 - dev

Setenta e sete escolas da rede municipal, 50 mil alunos beneficiados, três mil pessoas participando de cursos profissionalizantes, 2500 funcionários das escolas atendidos, acesso às novas tecnologias e geração de empregos. Esses são alguns dos resultados do Projeto de Inclusão Sociodigital, realizado pela Secretaria Municipal da Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secult) em parceria com o Instituto Miguel Calmon (IMIC).

Para conferir de perto esses resultados, o titular da Secult, João Carlos Bacelar e representantes do Conselho Administrativo do IMIC visitaram nesta terça-feira (13), a Escola Municipal Osvaldo Cruz, no Rio Vermelho, onde todos os 390 alunos da unidade participam do projeto, com aulas de informática e utilizando tablets.

Além dos estudantes, cerca de 300 moradores estão inscritos nos cursos profissionalizantes de telemarketing, operador de caixa, almoxarifado, logística, comunicação no trabalho, recepcionista, auxiliar administrativo, informática e artesanato. Os funcionários da escola também participam das aulas de informática básica. Em dezembro, todos os participantes vão receber o certificado de conclusão dos cursos. “Esse projeto é um ganho para a comunidade. É muito gratificante ver idosos, jovens e adultos tendo essa oportunidade”, conta a gestora da escola, Ana Carla.

“Constatamos hoje o que os números e depoimentos de gestores já indicavam. Esse projeto é vitorioso e traz muitos benefícios, como a socialização dos alunos, a melhoria do desempenho e a diminuição da evasão escolar. Além de todos esses benefícios, os alunos do noturno e os moradores ainda são atendidos com os cursos profissionalizantes aos sábados”, explica Bacelar.

SUPERAÇÃO – A professora Michele Guimarães aproveitou a oportunidade para contar um caso de superação e experiência exitosa dentro projeto. “Tivemos uma aluna no curso de artesanato com problemas de coordenação motora e ela conseguiu superar sua deficiência, apresentando trabalhos brilhantes. Fiquei muito feliz com o resultado”, conta.

“Quando eu entro numa escola, me sinto em casa. Me dediquei a outras áreas, mas nunca deixei de ser professor e completei 50 anos de magistério. É uma satisfação trabalhar nesse projeto, pois sei o valor que a educação tem na formação das pessoas”, ressalta o presidente do Conselho Administrativo do IMIC, Adary Oliveira.

O projeto vem promovendo a inclusão sociodigital e disponibilizando cursos profissionalizantes que contribuem para o desenvolvimento de competências e habilidades de estudantes e moradores das comunidades próximas das escolas. Além disso, maximiza o trabalho do docente na preparação das aulas e auxilia todo o corpo administrativo no desenvolvimento do seu trabalho.