pinflix yespornplease porncuze.com porn800.me porn600.me tube300.me tube100.me watchfreepornsex.com

Informe Secult

15 de fev de 2011 - dev

A Secretaria da Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secult) vem a público declarar seu descontentamento em relação à decisão da APLB-Sindicato em paralisar as aulas da Rede Municipal de Ensino no segundo dia do ano letivo.

Durante as últimas semanas, a Secult não mediu esforços que garantiram as condições para o início do ano letivo. “Reconhecemos que há fragilidades e estamos trabalhando para solucioná-las. Mas entendemos que elas não são impeditivas para a continuidade do ano letivo”, lamentou o secretário João Carlos Bacelar.

É importante ressaltar que os salários dos terceirizados estão em dia, que a segurança interna das escolas está assegurada com a contratação de 1073 agentes de portaria, cobertura da Guarda Municipal em 63 escolas e reforço da Ronda Escolar da Polícia Militar.

Além disso, os 1600 professores, 200 coordenadores pedagógicos e 300 merendeiras aprovados no concurso do final do ano passado serão nomeados ainda no primeiro semestre deste ano, reforçando o quadro de docentes da rede municipal.

Enquanto a nomeação destes profissionais – que vão se somar aos cerca de 3500 professores e 300 coordenadores nomeados em 2005, inicio da gestão do prefeito João Henrique – segue a tramitação legal, a Secult contratou 1000 estagiários para darem apoio ao corpo docente e funcionários das unidades escolares.

Bacelar assegurou que os estudantes não serão prejudicados, que os 200 dias letivos serão cumpridos e que estes dias de paralisação serão repostos já no recesso do meio do ano.

O secretário disse ainda que continua aberto ao diálogo, assim como foi feito desde o início de sua gestão, e aposta no bom senso dos educadores para que o movimento não prejudique os alunos da rede pública de Salvador, convocando também pais e comunidades para reforçarem a luta por uma educação de qualidade.

“Peço aos nossos professores para que retornem às salas de aula e unam esforços com a secretaria para continuarmos o movimento de revolução na rede municipal de ensino”, concluiu.