pinflix yespornplease porncuze.com porn800.me porn600.me tube300.me tube100.me watchfreepornsex.com

Ministra defende a lei que obriga o ensino da cultura afro-brasileira nas escolas

25 de fev de 2005 - dev

1ª Reunião Intersetorial sobre Promoção da Igualdade Racial

Durante a 1º Reunião Intersetorial Sobre Promoção da Igualdade Racial em Salvador, promovida pela Secretaria Municipal da Reparação, a Ministra Matilde Ribeiro, da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial(Sepir), apresentou as principais ações da sua pasta, como a implantação da Lei 10.639, que obriga o ensino da História da África e da cultura afro-descendente nas escolas; a política de proteção aos remanescentes dos quilombos e uma maior preocupação com a saúde da população negra, entre outras importantes iniciativas de promoção da igualdade racial.
“É importante que as crianças possam reconhecer que a cultura afro é parte estruturante da cultura brasileira. E é necessário que as crianças, brancas, negras e indígenas possam entender que a cultura brasileira possui a característica do convívio entre os vários grupos étnicos, mas não é uma convivência respeitosa. Então conhecer os componentes indígenas e o afros da nossa cultura é uma forma de valorizar a auto-estima do brasileiro e também
de compreender que os nossos códigos de convívio e de cultura vêm
carregados dessa ancestralidade”, afirmou a ministra.

No momento as principais ações da Secretaria estão relacionadas à educação, saúde e trabalho. Ela mencionou também a necessidade da reforma no sistema educacional brasileiro por completo, afirmando que não “devemos ter a visão voltada apenas para a educação superior. Os ensinos infantil e fundamental são essenciais para o desenvolvimento da população”.

A secretária municipal de Educação, Maria Olívia Santana, participou do evento como observadora. A reunião intersetorial contou também com a presença do vice-prefeito, Marcelo Duarte, do Dep. Federal, Luiz Alberto , o secretário de economia, emprego e renda, Domingos Leonelli e do reitor da UFBA, Naomar Almeida.

Maíra Azevedo e SMCS