OUTUBRO ROSA: PREVENÇÃO CONTRA O CÂNCER DE MAMA

Núcleo de Políticas Educacionais das Relações Étnico-Raciais (Nuper) completa dez anos

13 de mar de 2018 - Jornalismo

O Núcleo de Políticas Educacionais das Relações Étnico-Raciais (Nuper) este ano completa dez anos de existência realizando um trabalho educacional nas escolas municipais de Salvador com o objetivo de propor, implementar e acompanhar políticas educacionais relativas às questões raciais e de gênero. Na tarde desta terça-feira (13), o núcleo realizou o primeiro encontro de 2018, no Espaço Cultural da Barroquinha. Na ocasião, iniciou a comemoração dos dez anos de criação, apresentando a identidade visual do Nuper, as ações efetivas e as propostas de ações para este ano. Outro evento está programado para essa quarta-feira (14) com uma mesa redonda de encerramento do Curso Ensino de História da África e dos Africanos nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, das 14h às 17h, no Espaço Cultural da Barroquinha.

O Nuper foi criado em 2006, a partir de um projeto proposto por Eliane Boa Morte, atual coordenadora do núcleo, cuja trajetória educacional está relacionada ao ensino igualitário e de entendimento sobre as relações étnico-raciais. Com a oficialização em 2008, o Núcleo se tornou parte integrante da Educação na implementação das Diretrizes Curriculares para a inclusão da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana no Sistema Municipal de Ensino de Salvador.

De acordo com Eliane Boa Morte, a ação do Nuper está em permanente construção, pois ainda tem muito que se estruturar, reconhecer, educando os estudantes de modo a perceberem que podem estar onde quiserem, de modo a buscar e ter a sua representatividade firmada via reconhecimento da importância de sua História. “Esses estudantes e colaboradores precisam reconhecer a sua importância, o seu papel na formação da cultura Brasileira e precisam ter a autoestima elevada. Então, a nossa ação não é somente uma questão legal, mas uma questão de política pública, de ser humano discutindo essa temática racial”, enfatiza.

A estrutura organizacional do núcleo é formado por servidores da Smed trabalhando e dialogando com parceiros e entidades que tratam das questões étnico-raciais e de gênero. Em reuniões de planejamento com as Gerências Regionais, juntos propõem os temas a serem discutidos e implementados no ano. Os encontros são realizados toda terça-feira do mês.

Jocevaldo Santiago, professor de Língua Portuguesa, na Escola Municipal Ilha de Maré, localidade de Praia Grande, situada em uma comunidade Quilombola, sinaliza que o trabalho visa partilhar, informar e assessorar as ações realizadas por profissionais da educação dentro do espaço institucional. “Essas ações do Nuper representam um fortalecimento, um apoio que nos faz pensar que não estamos sozinhos para empreender essas iniciativas, buscando dar conta dessa educação que tem como matriz a cultura Afrobrasileira e Africana”, declara.

Hoje o Nuper contempla o Fundo Municipal para o Desenvolvimento Humano e Inclusão Educacional de Mulheres Afrodescendentes (Fiema), o Núcleo Interno do Programa de Combate ao Racismo Institucional (NI-PCRI) e os Núcleos das Gerências Regionais (NGR) responsáveis, respectivamente, pelas discussões de raça e gênero, racismo institucional e pelo diálogo com cada GR, atuando no âmbito das unidades escolares. Além dessas atividades, o Nuper realiza também ações referentes à temática em eventos solicitados pelas unidades escolares e sociedade civil, bem como em outras secretarias da Prefeitura Municipal de Salvador (PMS).

No ano passado, o núcleo realizou diversas ações elencadas como prioritárias pelas GRs dentre as quais: criação do Núcleo Regional (NGI), Rodas de Conversa tratando da inclusão no Projeto Político Pedagógico das lei 10.639 e 11.645, das questões de Gênero, das Diretrizes Municipais da Educação Escolar Quilombola, dialogando sobre a sistematização das demandas das unidades escolares por GRs.

Dentro do Programa de Combate ao Racismo Institucional (PCRI), são representantes da Smed Eliane Boa Morte e Hamilton Assis, que fazem diálogos intersetores com outras secretarias sobre a educação Étnico-Racial, tendo por componentes do Núcleo Interno, Noliene Oliveira, Osvaldo Oliveira, Gicélia Cruz, Olgalice Suzart, Jucineide Lessa e Jaciara Gomes.

Evento: Atividade de encerramento do Curso Ensino de História da África e dos Africanos nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental

Local: Espaço Cultural da Barroquinha (Antiga Igreja da Barroquinha)

Público alvo: cursistas e demanda social

Data: 14.03.2018

Horário: 13h às 17h