Smed leva estudantes da Rede Municipal para conhecerem o mundo dos games

06 de out de 2021 - Jornalismo

Mais um encontro do programa “Mais Conhecimento e Inovação Social” – uma parceria das secretarias municipais da Educação (Smed) e de Inovação e Tecnologia (Semit), com apoio da BDS (Beyond Digital Sports), foi realizado na sexta-feira (1°) . Uma programação especial levou os estudantes Rede Municipal de Ensino, no Centro de Convenções de Salvador a conhecerem o mundo dos games e a produção de um podcast. A iniciativa tem como objetivo estimular os jovens a conhecerem os diversos equipamentos do ecossistema de inovação, despertando o interesse dos estudantes pela área.

O Instituto Municipal de Educação Professor José Arapiraca (Imeja), localizado no bairro da Boca do Rio (GRE Itapuã) foi a escola selecionada desta vez. Para participar do encontro, foram convidados 60 alunos do 8º e 9° anos dos turnos matutino e vespertino. Os estudantes participaram da jornada que durou cerca de 1h30, com palestras e visitação aos estúdios da BDS em uma vivência que abordou temáticas sobre o mundo dos games, empreendedorismo, universo digital e produção de podcast. O projeto das secretarias segue até dezembro.
“É mais uma ação da nossa parceria e estamos conseguimos potencializar a inserção desses alunos no universo digital e para além disso, essa proposta visa ampliar o conhecimento dos estudantes a cerca de tudo que envolve o universo dos games no mercado de trabalho”, disse a coordenadora de formação pedagógica da Smed, Isabela Cavalcanti.

A estudante Samantha dos Santos (18) participou da visita e contou que foi a primeira vez que entrou em um estúdio de game e de gravação. “Saber que dentro desse universo existem várias possibilidades, realmente, é uma novidade. Eu sou da música e produzo vídeos cantando, sempre fiz isso como hobby. Agora com os conhecimentos adquiridos aqui, posso começar a produzir meus conteúdos através das plataformas digitais com a visão de rentabilidade”, afirmou.

Conforme o diretor executivo da (BDS), Lucas Walter LKZ, o mundo dos games faturam mais que o cinema e a música juntos. “Temos a maior indústria de entretenimento do mundo que se chama videogame. Esse universo é muito grande e falta essa percepção. A ideia é que a gente consiga abrir oportunidades e mostrar para esses jovens os caminhos que eles podem seguir dentro do mercado de games, que é um nicho que foge um pouco do tradicional e tem muitas oportunidades com varias áreas de atuação”.

De acordo com Lukas, por conta da pandemia, as visitas presenciais estão funcionando em processo de agendamento e qualquer jovem pode se cadastrar para conhecer o espaço. “Somos multifacetados. Realizamos torneios, campeonatos, produzimos conteúdos nas plataformas digitais e agenciamos os influenciadores digitais e suas carreiras. Temos um banco de dados de todas as pessoas que passam por aqui. Com isso, fazemos um papel também de olheiro para enxergar aquele jovem que tem potencial”.

“Já estamos em execução o nosso “Banco de Talentos” e a ideia desses encontros é de bate-papo para aproximar os jovens para a startup. O mundo dos games tem diversas possibilidades, e com isso, despertamos interesse principalmente naqueles jovens que já querem avançar no mercado de trabalho”, disse o diretor da Semit, Luis Gaban.

Catarine Struck, apresentadora do “Ovicast” -Programa voltado para o público feminino em formato de podcast, afirma que não existe só jogadores no mundo dos games. “Existem várias profissões nesse universo. Falando dessa indústria que é o game, queremos dar voz a essas profissões e a essas mulheres para as pessoas conheçam essas outras áreas através delas. O nosso podcast é totalmente feito por mulheres, inclusive as convidadas, com o intuito de dar visibilidade para elas”, frisou.

Fotos: André Carvalho/Smed